MENU

PODE A CIDADE DOS NOSSOS SONHOS EXISTIR?

Oficinas Gerais | Cidadania
Roteiro Cidadania em Portugal, uma parceria entre a Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, a Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local (ANIMAR) e a parceria local da Amnistia Internacional — Núcleo de Viseu.
23.
Local
Carrinha da Cidadania - Rua Formosa
Horário
7 de Julho às 21h30
8 de Julho às 11h00 e às 17h00
Sessões
3
Duração
60’
Número de Participantes
30
Público-Alvo
Público geral

Exercício criativo e reflexivo sobre a construção de futuros desejados e possíveis. As pessoas serão desafiadas a parar, a pensar em conjunto e a registar como será a sua terra de sonho e o que está ao seu alcance fazer que possa contribuir para a sua construção. O resultado será um mapa simbólico, inédito, que apontará caminhos possíveis para comunidades e territórios cada vez mais inclusivos, justos e participados. Para além da construção dos mapas, serão proporcionadas visitas à Carrinha da Cidadania, um centro de recursos onde estão disponíveis diversos materiais informativos e onde há tempo para diálogos reflexivos e informativos. Esta actividade integra o Roteiro Cidadania em Portugal, que resulta de uma parceria entre a Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade e a ANIMAR – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local, e conta com a parceria local da Amnistia Internacional — Núcleo de Viseu.

 

***

 

O Roteiro Cidadania em Portugal é uma iniciativa que resulta de uma parceria entre a Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade e a ANIMAR — Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local, que tem por objectivo colocar as redes e as comunidades locais a discutir os temas da cidadania, da participação cidadã, do combate às desigualdades e as discriminações.

O Roteiro teve início no passado dia 24 de Outubro — Dia Municipal para a Igualdade — e vai percorrer todo o país até ao dia 30 de Julho de 2017. Neste percurso contam-se mais de 165 concelhos e 550 entidades parceiras de Portugal continental e regiões autónomas.

A ANIMAR—Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local é uma associação privada sem fins lucrativos, fundada em 1993. Trata-se de uma rede presente em cerca de 60% do território nacional, com mais de uma centena de associados colectivos e outras dezenas de associados/as individuais, unidos por um objectivo comum de melhoria das condições de vida das comunidades, de democracia local quotidiana e da transformação sustentável e harmoniosa dos territórios.

A Amnistia Internacional — Núcleo de Viseu foi criado em Abril de 2013, sendo uma estrutura local da Amnistia Internacional de Portugal, que luta para pôr fim aos abusos dos direitos humanos. A visão da Amnistia Internacional é um mundo em que cada pessoa goze de todos os direitos plasmados na Declaração Universal dos Direitos Humanos e outros padrões internacionais de direitos humanos.Tem como missão investigar e agir de modo a prevenir e a pôr fim aos abusos de direitos humanos e a exigir justiça para aqueles cujos direitos tenham sido violados.

O Núcleo de Viseu da Amnistia tem vindo a desenvolver, quer localmente quer no distrito de Viseu, diversas acções em defesa dos direitos humanos, destacando-se as acções de Educação para os Direitos Humanos (EDH) realizadas em diversas escolas do distrito, bem como em eventos locais.

23.

Exercício criativo e reflexivo sobre a construção de futuros desejados e possíveis. As pessoas serão desafiadas a parar, a pensar em conjunto e a registar como será a sua terra de sonho e o que está ao seu alcance fazer que possa contribuir para a sua construção. O resultado será um mapa simbólico, inédito, que apontará caminhos possíveis para comunidades e territórios cada vez mais inclusivos, justos e participados. Para além da construção dos mapas, serão proporcionadas visitas à Carrinha da Cidadania, um centro de recursos onde estão disponíveis diversos materiais informativos e onde há tempo para diálogos reflexivos e informativos. Esta actividade integra o Roteiro Cidadania em Portugal, que resulta de uma parceria entre a Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade e a ANIMAR – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local, e conta com a parceria local da Amnistia Internacional — Núcleo de Viseu.

 

***

 

O Roteiro Cidadania em Portugal é uma iniciativa que resulta de uma parceria entre a Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade e a ANIMAR — Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local, que tem por objectivo colocar as redes e as comunidades locais a discutir os temas da cidadania, da participação cidadã, do combate às desigualdades e as discriminações.

O Roteiro teve início no passado dia 24 de Outubro — Dia Municipal para a Igualdade — e vai percorrer todo o país até ao dia 30 de Julho de 2017. Neste percurso contam-se mais de 165 concelhos e 550 entidades parceiras de Portugal continental e regiões autónomas.

A ANIMAR—Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local é uma associação privada sem fins lucrativos, fundada em 1993. Trata-se de uma rede presente em cerca de 60% do território nacional, com mais de uma centena de associados colectivos e outras dezenas de associados/as individuais, unidos por um objectivo comum de melhoria das condições de vida das comunidades, de democracia local quotidiana e da transformação sustentável e harmoniosa dos territórios.

A Amnistia Internacional — Núcleo de Viseu foi criado em Abril de 2013, sendo uma estrutura local da Amnistia Internacional de Portugal, que luta para pôr fim aos abusos dos direitos humanos. A visão da Amnistia Internacional é um mundo em que cada pessoa goze de todos os direitos plasmados na Declaração Universal dos Direitos Humanos e outros padrões internacionais de direitos humanos.Tem como missão investigar e agir de modo a prevenir e a pôr fim aos abusos de direitos humanos e a exigir justiça para aqueles cujos direitos tenham sido violados.

O Núcleo de Viseu da Amnistia tem vindo a desenvolver, quer localmente quer no distrito de Viseu, diversas acções em defesa dos direitos humanos, destacando-se as acções de Educação para os Direitos Humanos (EDH) realizadas em diversas escolas do distrito, bem como em eventos locais.