MENU

A Luz das Ideias

Pólis
João Seixas
imagem para a luz das ideias
Local
Logradouro da Boa Morte (orfeão)
Horário
(a confirmar) Reunião das equipas de trabalho | 10 Julho > 18h00 A Luz das Famílias | 11 Julho > 11h30 | A Luz do Comércio > 15h00 | A Luz das Casas, 16h30 | A Luz das Ruas 18h00

Ideias erógenas por sobre o corpo endógeno da cidade – construção e debate de ideias e propostas – originais, concretas e materializáveis – para apoio a uma regeneração activa do centro de Viseu.

As cidades são seres vivos. Como grandes moléculas, necessitam de luz, de intercâmbio e de alimento para o seu corpo, o seu sangue, a sua alma. A regeneração dos seus centros, após décadas de desvitalização, exige doses muito especiais de luz, intercâmbio e alimento. Elementos a ser produzidos pela própria cidade, desde logo, de forma quotidiana e permanente; mas também ocasionalmente induzidos, provocando um revigorar da cidade. Fazendo-a evoluir, de forma darwiniana.

Realizar-se-ão quatro momentos de apresentação de ideias e de propostas concretas para a regeneração do centro de Viseu. Desdobrando-se o tema da LUZ em 4 sub-temas (com os respectivos coordenadores):

> A Luz das Ruas: Mário Alves

> A Luz das Casas: Pedro Campos Costa

> A Luz das Famílias: Sandra Marques Pereira

> A Luz do Comércio: João Seixas

Para cada um destes momentos, cinco formas diferentes de viver e de pensar a cidade de Viseu – residentes, comerciantes e empresários, políticos, académicos, artistas – são convidados a trazer uma ideia iluminista de regeneração, e uma proposta muito concreta associada a essa ideia iluminista.

Cada proposta deve ser verdadeiramente original e muito concreta, com boa capacidade de aplicação prática, de baixo custo, e se possível com alto potencial mobilizador. Propostas erógenas. Que, embora não constituindo um todo estratégico e molecular, poderão contribuir de forma muito eficaz para ‘trazer luz’ à acção de regeneração da cidade de Viseu.

Estas 20 ideias e propostas serão expostas e debatidas em público, maturadas pelos seus intervenientes, e seguidamente vertidas para um manifesto – ‘A luz das ideias’ – a ser entregue à cidade.

 

imagem para a luz das ideias

Ideias erógenas por sobre o corpo endógeno da cidade – construção e debate de ideias e propostas – originais, concretas e materializáveis – para apoio a uma regeneração activa do centro de Viseu.

As cidades são seres vivos. Como grandes moléculas, necessitam de luz, de intercâmbio e de alimento para o seu corpo, o seu sangue, a sua alma. A regeneração dos seus centros, após décadas de desvitalização, exige doses muito especiais de luz, intercâmbio e alimento. Elementos a ser produzidos pela própria cidade, desde logo, de forma quotidiana e permanente; mas também ocasionalmente induzidos, provocando um revigorar da cidade. Fazendo-a evoluir, de forma darwiniana.

Realizar-se-ão quatro momentos de apresentação de ideias e de propostas concretas para a regeneração do centro de Viseu. Desdobrando-se o tema da LUZ em 4 sub-temas (com os respectivos coordenadores):

> A Luz das Ruas: Mário Alves

> A Luz das Casas: Pedro Campos Costa

> A Luz das Famílias: Sandra Marques Pereira

> A Luz do Comércio: João Seixas

Para cada um destes momentos, cinco formas diferentes de viver e de pensar a cidade de Viseu – residentes, comerciantes e empresários, políticos, académicos, artistas – são convidados a trazer uma ideia iluminista de regeneração, e uma proposta muito concreta associada a essa ideia iluminista.

Cada proposta deve ser verdadeiramente original e muito concreta, com boa capacidade de aplicação prática, de baixo custo, e se possível com alto potencial mobilizador. Propostas erógenas. Que, embora não constituindo um todo estratégico e molecular, poderão contribuir de forma muito eficaz para ‘trazer luz’ à acção de regeneração da cidade de Viseu.

Estas 20 ideias e propostas serão expostas e debatidas em público, maturadas pelos seus intervenientes, e seguidamente vertidas para um manifesto – ‘A luz das ideias’ – a ser entregue à cidade.