MENU

A Arte Não é Um Crime

Oficinas > Conversa
Liliana Rodrigues
Liliana Rodrigues
Local
Praça D. Duarte
Horário
4 e 10 Julho às 22h00
Sessões
2
Duração
120’
Número de Participantes
< 15
Público Alvo
> 13 anos

“A Arte não é um crime” consiste numa conversa onde se pretende explorar os temas do Vandalismo, Graffiti e Street Art. Pretende-se sobretudo contextualizar no tempo, levantar questões e reflectir sobre as práticas artísticas no espaço urbano.
Qual o impacto das intervenções artísticas urbanas na cidade de hoje? 
Qual a relação da street art com o mercado da arte no panorama português? Qual o papel do graffiti na cidade? Qual o papel do graffiti para o desenvolvimento da street art? Graffiti é arte ou vandalismo?

Liliana Rodrigues

Gerada no ano de 1987, cresceu a olhar para os Alpes e vive hoje a olhar para o Caramulo. Aprendeu a andar de bicicleta na varanda de um bloco de betão. Foi castigada desde os 6 anos pelo irmão mais velho para desenhar “coisas” com volume. Influência da Arquitectura, Natureza e Anatomia.
 Autora da peça SITUS INVERSUS – Coração Apertado, no contexto dos Jardins Efémeros’14.

Liliana Rodrigues

“A Arte não é um crime” consiste numa conversa onde se pretende explorar os temas do Vandalismo, Graffiti e Street Art. Pretende-se sobretudo contextualizar no tempo, levantar questões e reflectir sobre as práticas artísticas no espaço urbano.
Qual o impacto das intervenções artísticas urbanas na cidade de hoje? 
Qual a relação da street art com o mercado da arte no panorama português? Qual o papel do graffiti na cidade? Qual o papel do graffiti para o desenvolvimento da street art? Graffiti é arte ou vandalismo?

Liliana Rodrigues

Gerada no ano de 1987, cresceu a olhar para os Alpes e vive hoje a olhar para o Caramulo. Aprendeu a andar de bicicleta na varanda de um bloco de betão. Foi castigada desde os 6 anos pelo irmão mais velho para desenhar “coisas” com volume. Influência da Arquitectura, Natureza e Anatomia.
 Autora da peça SITUS INVERSUS – Coração Apertado, no contexto dos Jardins Efémeros’14.