MENU

Diorama Sonoro

Casa do Sonho > Paisagem Sonora
Eli Gras e Amaia Martín
17503176309_21207fcd23_c
Local
Museu Nacional Grão Vasco
Horário
6 a 9 Julho às 11h00 (Grupo A) | 6 a 9 de Julho às 17h30 (Grupo B) | 10 Julho às 19h00 (Concerto com todos os participantes)
Sessões
8 + 1 (Apresentação final)
Duração
120' por sessão
Número de Participantes
12 por grupo
Público Alvo
Grupo A: 5 > 7 anos | Grupo B: 8 > 12 anos

Esta oficina tem como objectivo a construção de um “diorama sonoro”, um tipo de “paisagem sonora” que remente os participantes e a audiência para uma estranha cidade de ruídos, luzes e formas, construídas durante a V edição dos Jardins Efémeros. As artista barcelonesas Eli Gras e Amaia Martín, durante os 5 dias de residência em Viseu, construirão com os participantes uma mesa gigante a partir de objectos e materiais de uso quotidiano que, normalmente, não são pensados como objectos sonoros.

Eli Gras

Tem uma longa carreira na música experimental, iniciando o seu percurso no início dos anos 80. O seu background advém do electropop, música grega, minimalismo, coral e noise. Hoje, a sua prática musical é focada na improvisação e no luthierismo experimental. É criadora das performances “Saló Sonor” e “Peeled Piano”, tendo tocado com muitos artistas Europeus. É fundadora e directora do Festival NoNoLogic e da editora de música La Olla Expréss.

Amaia Martín

Artista multidisciplinar (belas artes, design industrial e arquitectura) de percurso extenso com diversas exposições colectivas e individuais. Desde 2001, incorpora o som como elemento nos seus projectos, conseguindo em 2003 obter o prémio “Periodic ’03” (CCCB). Profissionalmente, como designer e docente especializada em arte-terapia, trabalha a criatividade infantil em diversos centros educativos de Barcelona e realiza investigação pedagógica sobre a construção de objectos sonoros/visuais. Paralelamente, é Dj.

Material necessário trazer pelos participantes | Caixas de medidas variáveis de madeira, metálicas ou de plástico, garrafas de água de diversos tamanhos, latas, brinquedos, utensílios de cozinha como, por exemplo coadores, escumadeiras, raspadores de vegetais, luzes de natal, e mais tralhas que tenhas por casa.

17503176309_21207fcd23_c

Esta oficina tem como objectivo a construção de um “diorama sonoro”, um tipo de “paisagem sonora” que remente os participantes e a audiência para uma estranha cidade de ruídos, luzes e formas, construídas durante a V edição dos Jardins Efémeros. As artista barcelonesas Eli Gras e Amaia Martín, durante os 5 dias de residência em Viseu, construirão com os participantes uma mesa gigante a partir de objectos e materiais de uso quotidiano que, normalmente, não são pensados como objectos sonoros.

Eli Gras

Tem uma longa carreira na música experimental, iniciando o seu percurso no início dos anos 80. O seu background advém do electropop, música grega, minimalismo, coral e noise. Hoje, a sua prática musical é focada na improvisação e no luthierismo experimental. É criadora das performances “Saló Sonor” e “Peeled Piano”, tendo tocado com muitos artistas Europeus. É fundadora e directora do Festival NoNoLogic e da editora de música La Olla Expréss.

Amaia Martín

Artista multidisciplinar (belas artes, design industrial e arquitectura) de percurso extenso com diversas exposições colectivas e individuais. Desde 2001, incorpora o som como elemento nos seus projectos, conseguindo em 2003 obter o prémio “Periodic ’03” (CCCB). Profissionalmente, como designer e docente especializada em arte-terapia, trabalha a criatividade infantil em diversos centros educativos de Barcelona e realiza investigação pedagógica sobre a construção de objectos sonoros/visuais. Paralelamente, é Dj.

Material necessário trazer pelos participantes | Caixas de medidas variáveis de madeira, metálicas ou de plástico, garrafas de água de diversos tamanhos, latas, brinquedos, utensílios de cozinha como, por exemplo coadores, escumadeiras, raspadores de vegetais, luzes de natal, e mais tralhas que tenhas por casa.